BlackBerry divulga dados interessantes sobre formas com que os consumidores utilizam dispositivos ligados a “internet das coisas” (IOT), assim também sobre como os mesmo confiam/desconfiam da segurança de seus dados neste dispositivos.

Conforme resultados da pesquisa, o que se observar muito resumidamente é que o consumidor apesar de não confiar que seus dados estarão totalmente protegidos em determinados dispositivos conectados a internet, pouco tem feito e muito deseja fazer para mudar este quadro.

De acordo com o resultado detalhadamente divulgado pela BlackBerry, os dados são os seguintes:

Realizada nos últimos 30 dias, a pesquisa encomendada pela BlackBerry constatou que aproximadamente 80% dos entrevistados nos Estados Unidos, Reino Unido e Canadá não confiam em seus atuais dispositivos conectados à Internet para proteger seus dados e sua privacidade. Além disso, quando questionados sobre compras futuras, os entrevistados disseram que tinham mais probabilidade de escolher um produto ou fazer negócios com uma empresa que tinha uma forte reputação de segurança e privacidade de dados e apoiariam um “Selo” ou “Selo de Aprovação” para demonstrar quais dispositivos conectados à Internet alcançam um certo padrão de segurança.”

Esta pesquisa mostra que há uma oportunidade real para as empresas diferenciarem seus produtos, fornecendo um nível mais alto de segurança e privacidade de dados“, disse Mark Wilson, diretor de marketing da BlackBerry. “Semelhante ao aumento na demanda por alimentos orgânicos e bens sustentáveis, acreditamos que consumidores instruídos – muitos que foram vítimas de ataques cibernéticos e uso não-solicitado de dados pessoais – ajudarão a impulsionar os setores público e privado em um padrão de segurança e proteção. ”

“Disposição para pagar pela segurança”

“Mais da metade dos entrevistados (58%) disseram que estariam dispostos a pagar mais por produtos conectados à Internet, como alto-falantes Alexa, produtos de segurança doméstica, wearables e muito mais, se souberem que seus dados e privacidade estão protegidos. Quando perguntados quanto mais, 10% dos entrevistados estavam dispostos a pagar até 20% a mais, onde a maioria preferia 10% ou menos.”

Quando se trata de carros conectados, a maioria também afirmou que pagaria mais para saber que seu veículo usava o mais alto software de segurança e proteção. De acordo com o Kelley Blue Book, o preço médio estimado de transação para veículos leves nos Estados Unidos foi de US $ 35.742 em setembro de 2018, o que significa que 23% dos entrevistados disseram que pagariam até cinco por cento mais por seu carro para usar software seguro. gastaria um adicional de US $ 1.700 na concessionária. Dez por cento dos entrevistados estavam dispostos a pagar até 20% (aproximadamente US $ 7.000).”

“Reação mista a assistentes de voz no carro”

“Quando perguntados sobre qual assistente de voz confiaria mais em um carro, o Google (25%) foi o escolhido, seguido pelo Siri da Apple (19%), Alexa da Amazon (16%), Cortana da Microsoft (5%) e Watson da IBM ( 3%). Dito isto, 32% dos entrevistados selecionaram “nenhuma das opções acima”, com a maioria dos votos vindo de pessoas com mais de 54 anos. Notavelmente, apenas 20% dos millennials escolheram “nenhuma das opções acima”.”

“Prática de segurança e lacuna de conhecimento permanece”

“Enquanto os consumidores dizem que estão preocupados com a segurança e a usam para avaliar os produtos antes de comprar, o estudo também destaca que há uma desconexão entre essas preocupações e o uso atual de certas tecnologias. Por exemplo, 23% dos entrevistados disseram que não restringem os dados que eles permitem que seu dispositivo conectado à Internet acesse por meio de recursos ou aplicativos, e 17% admitiram que não sabem como restringir os dados.”

Além disso, mais de um terço (36%) dos entrevistados admitiram não saber quais certificações de segurança devem ser procuradas ao comprar um dispositivo conectado à Internet. Isso foi ainda mais profundo para os entrevistados do Canadá e do Reino Unido, com 41% dos entrevistados de cada país admitindo que não sabiam quais certificações de segurança procurar, em comparação com 32% dos americanos.”

Obs: Negrito nosso.

————————-

Em nossa opinião, esta pesquisa mostra que a BlackBerry tem tudo para crescer no mercado de software e dispositivos móveis conectados a internet, primeiramente por ter décadas de experiencia em segurança de dados e comunicação, posteriormente por “colecionar” certificados de segurança.

Fonte: Site oficial de notícias BlackBerry.